Meus vídeo-poemas

Loading...

sexta-feira, maio 11, 1990

Alma, corpo e coração

Sinto-me só, frágil, desprotegida
Qualquer momento é o minuto passado
Passado de ressentimentos
Luzes sedentas no luar negro
Da escuridão da manhã.

Sinto-me vazia, sem ar, sem vento
Todo momento é um tormento
Tormento e então lamento
Lamento pelo vento
Ter levado você...

Quero você assim
Como assim o é.
Sem forma, sem cor,
Sem raça, com amor,
Desse jeito, assim...

Sinto não dominar a razão
A razão não supre o sentimento
Sentimento revela segredos
Segredos que trazem tormentos.

Tormento de amante
Amada ao semblante
Da terra errante
De suas mães viajantes

Alma, corpo e coração
Eu quero sempre esse vilão
Leve-me a qualquer direção
Sempre com você.

Nenhum comentário: