Meus vídeo-poemas

Loading...

domingo, abril 28, 1991

Será que vale a pena?

Será que vale a pena
Viver num mundo tão imundo
Respirar este ar tão poluído
Suspirar de cansaço e de dor?
Será que vale a pena
Acordar e passar mais um dia
De decepções
Almoçar a fome dos outros
Beber a sede do irmão
Esquentar a miséria das pessoas?
Será que vale a pena
Entardecer na solidão da multidão
No corre-corre dessa vida bandida?
Será que vale a pena
Anoitecer no frio dos corações
E sonhar na esperança de mais um dia?
Será que vale a pena?

Por você

Por tudo que passamos
Por tudo que sentimos
Por tudo que aprendemos
Venho aqui te falar:
Todos os momentos de frieza
Todas as lágrimas de saudade
Todas as palavras proferidas por nossas bocas
Todos os gestos que, de repente,
Surgia de ti...
Foram momentos de conquista.
Todos os telefonemas,
Todas as poesias,
Todas as cartas,
Todos os olhares.
Liberei-me de mim mesma
Para dar-te todo sentimento
De bondade que uma pessoa
Poderia ter.
Quis ser para ti a amizade,
A segurança
A proteção
A mãe,
A irmã,
A própria natureza.
Quis ser o tudo
Quis dar-te o tudo
Com toda essa ânsia de proteção
Acabei por fazer coisas
Comigo e contigo
Que eu própria
Não sabia porque.
Só tinha a intenção de
Fazer-te bem.
Na verdade
Não eras tu quem dependia de mim
Eu dependia de ti,
De tua presença em minha vida.
Queria-te participar a minha vida.
Queria-te sempre perto de mim
Ao teu lado, sentia-me mais firme
Mais segura, mais plena.
Sentia-me importante,
Sentia-me responsável por ti.
Quantas vezes lastimei
Ao ver-te infeliz, triste, inquieta.
Achei que não era eu
Quem te fazia bem.
Tu me fazias bem.
Senti-me um peso na sua vida.
Senti-me egoísta,
Enfraquecida
Senti que não estava fazendo-te feliz.
Quis afastar-me.
Quando te via sorrindo,
Ficava feliz por ti.
Quando te via triste, deprimida
Sentia-me culpada por teu sofrimento
Por tua decepção para comigo.
Já não me sentia a mesma
Estava fraca, vazia, sem você.
Tua presença me faria bem.
O tempo foi passando e,
Muitas vezes, sem saber,
Eras tu quem me davas a mãe
Para eu me levantar.
Quis dar-te até mesmo o impossível
A lua, o sol, o mar
Quis dar-te o melhor de mim
Sei que não sou perfeita
Mas quis sê-la para fazer-te feliz.
A vida me ensinou a te amar
Aceitando-te e aceitando-me
Com nossos defeitos pessoais.
De tudo, só nos resta o amor
Sempre o amor, amiga!

sábado, abril 27, 1991

Solidão

De repente me deu uma louca vontade
De me jogar no prazer inacessível
De minha imaginação...
Ouvir uma música suave
Por um perfume delicado
Usar um tecido de cor relaxante
Estou me sentindo um pouco vazia.
Um amor, talvez, preenchesse a minha vida.
Um amor que estivesse ao meu alcance.
Que eu pudesse tocar, falar
Dormir, sonhar
Sem preconceitos, sem cobranças
Sem mentiras.
Queria me libertar d mim e
Voar na infinidade do meu ser mais profundo.
Preencher minha vida de forma
Que não haja lugares ocos, vazios
Nem obrigados a sentir rancores
Ou a não sentir nada.
Queria um carinho jeitoso
Uma esperança de outro dia bom
Sem saudades
Sem decepções
Sonhava em poder viajar pelos caminhos do meu corpo
Pelo cheiro que é só meu
Um pronome possessivo ou indefinido.
Queria estar com alguém
Aqui e agora
Abraçada
Protegida
Tranqüila.
Será que sonhei?

sexta-feira, abril 26, 1991

Quem é você?

Olá! Como vai você? Tudo bem?
Não sei quem é você, nem como é.
Só sei que preciso de você.
Preciso que você converse comigo,
Que ouça tudo o que eu quero falar.
Meus medos, meus sonhos, minhas loucuras....
Preciso que você me pegue no colo
E me faça um cafuné;
Que me proteja e
Não me deixe chorar desesperadamente.
Quero que você me aceite
Do jeito que sou
Elogie a minha comida
E respeite o meu silêncio
E a minha paciência.
Quero que você seja o guardião
De todos os meus segredos
Sem medo, sem rancores
Quero que você tenha o poder
De me fazer falar de mim
Sem mentiras nem omissões
Sem medo de chorar
Sem medo de sorrir
Quero que você reconheça a minha luta
E não me rebaixe por não atingir
O que você pretendia
E sim o que eu pretendo.
Nada quero exigir de você.
Nem sei quem você é.
Quem é você?

quinta-feira, abril 25, 1991

Saudade

A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A criança inocente, cheia de fantasias
E sonhos diferentes
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A criança crescendo
Com os olhos temendo
O futuro incerto.
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A adolescente pensando
Criando realidades irreais
Lutando por seus ideais
Lutando pela sua necessidade de viver.
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A adolescente amadurecendo
Disfarçando suas omissões
Revelando criações,
Aninhando pensamentos.
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A adolescente sofrendo
Lutando para fazer seu ego
Único e verdadeiro
Reconhecendo o que de fato é
Descobrindo as pessoas.
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A moça descobrindo o amor
Sofrendo e aprendendo a lidar com a vida
De cabeça erguida.
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A mulher caindo e levantando
Reconhecendo os erros
Conhecendo a si mesma
Dentro de suas limitações
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A mulher amadurecendo
Crescendo
Lutando e vivendo
A saudade que bate em meu coração
É vontade de rever
A pessoa que um dia fui.

quarta-feira, abril 24, 1991

Fazedor de emoção

Poeta, fazedor de emoção
Emoção dolorosa
Emoção calorosa
A emoção sensibiliza o coração
O coração cativo
A emoção sentida
O poeta bandido
A poesia acolhida
Rimas descontínuas
Ritmo louco
Poeta descompensado
De tudo tem um pouco
Um pouco de tristeza
De dor
De loucura
De amor
Um tanto de poesia
De paz
De luz
De alegria
O poeta finge
Mente
Expressa-se
Subentende-se
Fazedor de emoção
Reluz a expressão
Ilumina o coração
E chega ao coração
Ao coração do sensível.

A vida continua

A saudade é dor
Tão fria em nossa alma
De repente, sem destino
A gente conhece uma pessoa legal,
Divertida
Passa a reconhecer outras qualidades
Outros defeitos
Acostuma-se
Quase se apega
Num vapt-vupt tudo passa e voa
Como passageiro no vôo das 18 horas
Engraçado? Emocionante? Mágico?
O que importa?
As pessoas passam por nós
Deixam um pouco de si
Levam um pouco da gente
É a vida
Em lados tão opostos
Viemos nos bater aqui
Nos encontrar ali
E agora tudo passou
A saudade fica
O tempo passa
A vida continua

Sou eu...

Estou aqui.
Talvez com outros fins,
Talvez com a mesma missão passada,
talvez aspirando o ar da juventude,
talvez buscando o sol da noite,
talvez buscando a escuridão da manhã....
Estou aqui.
Quem sabe se hoje ou amanhã
Quem sabe de ontem ou algum dia
quem sabe se presente ou futuro
Quem sabe se eu ou você
Estou aqui
Tão perto do eu
Tão distante de mim
Tão junto de você
Estou aqui
E venho me apresentar
A essa luz
Que brilha nos seus olhos
Estou aqui.
Sou aquela estrela
Que brilha na noite
Sou aquela gaivota
Que faz seu mundo livre
Sou aquela gota d'água
Que mata a tua sede
Sou aquele grão de areia
Cujo o frio lhe refresca os pés
Estou aqui.
Sou aquela nuvem
A modelar seu dia
Sou aquela cerveja
A lhe deixar mais louca
Sou aquele batom
Que lhe colore a boca
Estou aqui
Sou bela sou fera
Sou esfera sou donzela
Sou perigo sou meiguice
Sou pureza sou singela
Estou aqui
Sou o sol que ilumina o seu dia
Sou a lua que embeleza a sua noite
Sou o alimento que lhe deixa mais firme
Sou a rainha que encanta a sua corte
Estou aqui
Sou tudo sou nada
Sou pouco sou parda
Estou aqui
Sou Eva sou Adão
Sou pecado sou solidão
Estou aqui
Sou eu sou isso
Sou você Sou aquilo
Estou aqui...
Sou nós sou alguém
Sou eles sou ninguém
Sou grossa sou plena
Sou estúpida sou serena
Sou bonita sou ingrata
Sou feiosa sou sem graça
Sou doce sou tímida
Sou amarga sou atrevida
Estou aqui
Estou ali
Estou lá
Estou Maria
Estou Tereza
Estou Cassinha
Sou indiana
Sou sacana
Sou profana
Sou eu
Sou Lu
Sou simplesmente Luciana

segunda-feira, abril 22, 1991

Perdoa-me

Perdoa-me
Se não fui pra ti
O que tentei ser.
Se não fiz por ti
O que planejei fazer
Se não fui a perfeição
Que queria ser
Se não te protegi
Como desejei proteger
Se não te amei
Como desejei amar.
Perdoa-me por minhas falhas.
Perdoa-me pela minha neutralidade
Perdoa-me pelas minhas omissões.
Perdoa-me por te envolver em minha vida.
Perdoa-me por te amar de um jeito só meu.

Há momentos

Há momentos em que eu não resisto resistir
A seu plano mágico, felino, sedutor
Embarco na doce magia dos mares navegantes
À pele da carícia provocante
O cheiro puro do odor da paixão
Nos faz cada vez mais imaginar como seria
Os melhores momentos de uma noite
Passada ao seu lado
E a pele arde
E o corpo chama
E a boca clama por mais desejo
Saliva doce e quente que me faz
Delirar ao som de seu delírio
Silencioso, provocante
O fogo toma conta do coração e
Invade a cabeça dominando a razão.
Não há mais tempo para pensar
Não há mais tempo para reagir
Contra a louca vontade de sermos um
De estarmos por alguns instantes
Envolvidos na intimidade de um momento
Único, só , repleto
E viajamos
Sem controlar a imensa loucura
Que vem do nosso ego
Loucura. Prazer.
Amor.
São coisas loucas
Que nos deixam loucos.
Há momentos que eu não resisto resistir
Ao apelo de nossos olhares
Pedindo mais força e coragem
Para não dar razão
À nossa louca sedução.

Loucuras

Sinônimo de amor
Antônimo de tristeza
Querer mais um pouco
Ser a própria delicadeza
Abrir os olhos à lua
Sentir delírio e ser tua
Gozar o mel dos teus cabelos
Abraçar-te e sentir-me nua
Sentir saudades dos teus olhos
Fazendo meu sorriso brilhar
Acender o fogo do meu fogo
Fazer amor e irradiar

domingo, abril 21, 1991

Sucessivas

O tempo passa
As pessoas passam
Os amores vão e vem
As paixões se cruzam
Cm muita intensidade
O momento vivido é sempre apaixonado
Largado, irresistível
O tempo anda pra frente
Meus amores andam pra trás.
Atrás passando adiante
Com ternura a maturidade chega
O convívio reforça
A decisão é exata
A ponto de serem vistas sob ângulos jamais pensados.
A relação passado – futuro – conhecimento
A insegurança segura a confusão
O tesão toma o lugar do coração
A tentativa de ser ou estar
Atrai o pensamento que leva a fantasia
E o sonho vive na realidade mental.

terça-feira, abril 16, 1991

Se tudo ficasse

Se tudo ficasse como ficou
Talvez nós não nos encontrássemos
Com tanta fome de viver
Com tanta fervura que quase nos queima.
Se tudo ficasse como um dia deixamos para trás
Talvez nós não nos quiséssemos
Com tanta veracidade e vontade de sentir
Se tudo ficasse como antes
Talvez nós não aprendêssemos
Tanto com a vida.
Se tudo ficasse como queríamos
Talvez nós não soubéssemos
Como nos encontrar e nos conhecer melhor.
Se tudo ficasse como ficou
Talvez nós não pudéssemos
Ser tão fortes como hoje somos
Um diante do outro
Sem omissões.
Se tudo ficasse como esteve
Certamente não nos reconhecêramos
Diante de nossas ideologias
De nossa personalidade
De nossa vontade de viver
Se tudo ficasse como antes
Não nos apaixonaríamos novamente....

segunda-feira, abril 15, 1991

Às vezes

Não sei se é coisa do destino
Ou se é loucura da minha cabeça.
Às vezes penso
Se é possível alguém viver
Tanto tempo assim
Fazendo presente uma pessoa
Que está tão longe de seu alcance.
É assim que vivo
Trazendo pra perto de mim uma pessoa
Que há muito tempo conheci,
Senti
E amei : e amo.
Vivo, penso e sonho...
E a presença dele está comigo
No meu pensamento
Nos meus sonhos,
no meu sono....
05/1991

Elíptico

Por que de repente a gente sente
Que dentro da gente existe
Uma força oculta que nos estimula
A cada vez mais ocultar
O lado sentimental
E não tampouco a doação do ser total?
O mistério de cada ser,
O enigma do eu
Entrelaça-se no buscar constante
De outros, de nós,
de cada mundo individual.
A gente se doa, se remói,
Estraga-se, se entrelaça
Na vida de outrem
De maneira intensa, ilusória, informal.
Pecado ou castigo?
Herói ou bandido?
Apenas encosta-se a uma pedra de isopor
E sente que a força de volta é um tanto mirim.
Então fica o sentimento pequeno
Uma criança sensível
Frágil, forte
- um tanto reconhecedor –
desconhecendo seu mundo interno
oculto às angustias pessoas
interessado ou interessante,
nada mais que um instante
a vida tornou-se errante
e eu um ser insinuante
por essa vida marcante
cheia de vitórias humilhantes
e acertos inconstantes.
Conflito do eu comigo,
Do tu contigo.
Sentimento e razão.
Qual a solução?
Será perdão?
Importa apenas que eu quero ser feliz de montão!

domingo, abril 14, 1991

Fúria

A fúria que soa em meu peito
E dor de bomba explodindo
Levando à beira da loucura
Todos os atos alheios, nojentos, investidos.
Toda essa fragrância
É som de sino à espera de Papai Noel
A loucura invade
e o pranto
Rola
limpando
As impurezas
do pensamento.

sexta-feira, abril 12, 1991

Ser Mãe

Ser mãe é sentir a vida viver
No coração de outra vida, no olhar terno
No carinho de juntar a alma em outro ser
Tendo o coração cheio de amor materno...

Ser mãe é limitar as horas de aventura
E dessa forma sentir muita alegria
É sorrir, deixar de lado a amargura
E chorar aos nascer um novo dia!

Ser mãe é transformar tristeza em brilho
É brilhar a cada noite sem cessar
É cuidar do conforto de seu filho
Mesmo se no ventre ele ainda está.

Ser mãe é sentir ele mexendo
Pedindo pra logo conhecer
A pessoa que tanto o está querendo
E com tanta ansiedade quer o ver...

quinta-feira, abril 11, 1991

Sem razões

Amei teus olhos
Os meus
Os nossos momentos
Amei-te por todas as razões
Centralizei o meu amor
Busquei algo a me apegar
Fui menestrel das tuas – das minhas dores
Feudalizei o meu amor.
Achei que tudo ocorreria bem – era comigo
Mas quem sou eu diante de ti?
Perambulei pela noite com amor e tudo
Tinha tanto amor e não sabia pra que.
Ninguém queria amor.
Apenas horas de prazer e paixão
O prazer sem sentimento
Amei o nada que foi tudo
De repente esses momentos
Foram deslizando das minhas mãos...

Não medir sacrifícios

Não medir sacrifícios para ser feliz
Poder ter, poder estar, poder sentir
Não medir sacrifícios para amar
Poder ficar, descansar, gozar
Não medir sacrifícios
Em confiar
Poder acreditar, sonhar, viajar
Não medir sacrifícios em ser
Em estar, em ficar, em permanecer..
Ser o que é
Sem mentiras, sem omissões, sem promessas
Só sendo e estando e sentindo
E deixando e se levando a um lugar
A uma fase jamais premeditada
Sonhar, fantasiar, planejar
Amar
Apaixonar-se
Viver – crescer – conhecer
Tudo é vida
Tudo é tempo
Tudo passa
Tudo se transforma
Não medir sacrifícios em viver
Poder viver
Com vida
na vida.

quarta-feira, abril 10, 1991

Professorando...

Queria ser apenas uma professora
No mais íntimo do seu significado
Não queria ser como vassoura
Faz o dever e se deixa de lado.
Queria ser amiga, fiel, educadora
Uma professora esperta, criativa
Queria ser uma tia renovadora
E por um pouco mais de amor na vida.
Queria ser doce, compreensiva
Ser uma aluna sempre
Queria ser grossa, mas detida
Ser professora como gente.
Queria ser carinhosa, amada
Ser uma pessoa carismática
Não queria ser rude, amarrada
E me ligar apenas na Gramática
Queria saber contar
Dividir, multiplicar
E nesses corações brotar
Para um pouco de mim ficar.
Queria saber me expressar
O dedão também chupar
E mostrar sem arrasar
Como é feio imitar.
Queria saber falar
E pra você contar
Como é difícil conjugar
O meu verbo, o verbo amar.

Sou toda

Hoje estou bonita – vejo-me bonita
Bonito está o meu ser, o meu sentimento, a minha pessoa.
Sou toda beleza, imortal, incontida nos contínuos caminhos
De minha matéria orgânica ou inorgânica
Sou toda esplendida, magia, doçura
Inteligência, espírito, cultura
Sou um ser ambulante de idéias e criações
Maravilhas do meu mundo autista, autônomo
Onde milhões de pessoas passam e só conseguem enxergar
A beleza imaterial mais intensamente
Não conseguem enxergar o que os olhos vêem,
Não conseguem penetrar na essência da retina
Sou toda amor, fascínio, coragem
Carinho, meiguice, bondade
Faço-me passar o que sempre sou
Talvez achada no mesmo instante do suspiro inquieto
Sou toda loucura, viagem, prazer
Sinto-me nua, sou tua, o que fazer?
Acha-me e me sinta ... cautela...
Sou toda desejo, ardente, espelho
Dá-me um beijo, roceiro, sem desespero
Acha-me e me sinta: sou sua, sou sua...
Ame-me de novo: socorro, socorro...
Sou toda paixão, luz, gozo
Fazendo amor de novo, sem nojo
Sou toda sexo belo, bem perto
Perto de você.
Ama-me, sacana!
Não sou mais fuga, loucura, brandura
Afaga-me, me pega, me faz mulher....

segunda-feira, abril 08, 1991

Completou minha vida

Se a vida que deixamos pra trás
Valeu-nos de alguma coisa
Só o mais intimo de nosso ser
Saberá como dizer
A nossa cabeça dá tantas viradas
Sem saber como decidir
Sem saber pra que lado ir.
O sentimento se complica com o tempo
Tornando-se, por vezes,
Um grande tormento.
Uma incógnita em nossa vida
Criando-nos novas feridas.
Paixão, traição
Amor, pulsação
Uma pessoa aparece e com a gente mexe:
Alguém muito especial
Pessoa sensacional
O carinho, a meiguice, a saudade, o conflito.
Quel,
Doce como mel
Amarga como fel
Suave como galope de carrossel
Leve como pássaro no céu
Simples como o branco papel
Complicada como as cores
Num mesmo pincel
Presença encantadora
Flor sedutora
Jeitinho felino
Amor de menino
Cheiro de música ,gosto de malícia
Olhares na torcida...
Completou minha vida.

De repente

De repente do nada veio um pedaço
Do pedaço veio um pouco
Do pouco veio o tudo
Do tudo veio você
Você veio quietinho, de mansinho
Conquistar o meu ser.
Que pena que o destino
Às vezes, cretino
Não deixou que minha vida encontrasse a sua
Será destino? Será escolha?
Que importa saber quem são os culpados?
Importa que eu estou aqui
Com medo de você..
Com medo de mim...

Difícil

A facilidade de entrar
A dificuldade de sair
A permanência de ficar
E não saber para onde ir...

É difícil resistir
É difícil recusar
Mais fácil desistir
Melhor é poder estar

Estando é fácil se apaixonar
E fazer sofrer o coração
Insistindo em mudar
E levar a qualquer direção

A gente finge que é forte
Insiste em tudo agüentar
Desejando, no fundo, a morte
Por não se deixar falar

Falar o que a gente sente
Sentir o que a gente deseja
Desejar que o coração da gente
Se apaixone por quem quer que seja

Seja alguém importante
Seja alguém angelical
Seja alguém interessante
Mas se fosse você,
Não faria mal....

sábado, abril 06, 1991

Uma luz

Com todas as incertezas
Que a vida nos propõe
Com ensejos e decepções
Temos a esperança que tudo
Um dia
Vai melhorar.
Passamos por mil e uma armações
Saídas e passos em falso
Fazemos o possível para permanecermos vivos.
Seguindo o nosso objetivo
Seja lá qual for
O importante é estarmos vivos
E vivendo
Vivendo e vendo
E ouvindo
Tudo que gira ao nosso redor
Rodamos mil vezes mais
Que a nossa Terra
Tudo gira no espaço numa grande rapidez
Em um segundo viajamos
Por toda a Via Láctea
Do nosso pensamento inexplicável
É a mania de achar que no fim de tudo
Deve haver uma esperança
Deve haver uma solução
É a luz que existe
Atrás do túnel
Atrás de tudo
Atrás da vida
É a morte
É a vida eterna....

terça-feira, abril 02, 1991

Vida e Morte

A vida da qual fazemos parte
Nos afoga nas suas lágrimas
Do sofrimento e de luta
E nos sufoca com esse
Ar sedento da miséria
E falta de amor.
A nossa única salvação
É o amor por nós mesmos
A morte.