Meus vídeo-poemas

Loading...

sexta-feira, janeiro 31, 1992

Uma chance

Quero ser feliz
Quero estar junto a ti
Sorrir, desabafar
Chorar, esvaziar
Quero teu sorriso maroto
Tua carícia inocente
Quero teu murmúrio de amor
O teu grito de amizade
Uma chance para ter você bem perto
Bm junto a mim.
Teu calor, teu carinho
Tuas palavras doces, tua voz, teu olhar.
Uma chance para tentar recomeçar.
O que já está acontecendo
Uma chance para a vontade de amar.

quinta-feira, janeiro 30, 1992

Houve recomeço

Quando nossas vozes se encontraram
No fio frio do telefone
Houve malícia
Houve entrosamento
Quando nossos rostos se encontraram
Num tímido “oi, como vai?”
Houve encanto
Houve coragem.
Quando nossos olhos se encontraram
Num encontro às escondidas
Houve saudade
Houve vontade
Quando nossos lábios se encontraram
À beira de um lago à noite
Houve consentimento
Houve arrependimento
Quando nossas mãos se encontraram
Num quente “tchau, até breve”
Houve chance
Houve alcance
Quando nossos corpos se encontraram
Houve carinho
Houve amor
Houve desejo
Houve saudade
houve um recomeço.

segunda-feira, janeiro 06, 1992

Estou presente

Estou presente na mosca
Intrometida
Fosca
Estou contida na flor
Perfume
Odor
Estou presente no mar
Singelo
Luar
Estou presente na lua
Pureza
Nua
Estou a fim do horror
Terror
Amor
Estou presente no rio
Vazio
Frio
Estou esvairada em lágrimas
Sem graça
Com garra
Estou presente em mim
Pingüim
Marfim
E ao mesmo tempo um ente
Bem quente
Em frente
Simplesmente
Gente

domingo, janeiro 05, 1992

Eu faço versos

Eu faço versos como quem ri
como quem ri e chora
Sente e ignora
Eu faço versos como quem canta
Como quem canta e encanta
Quando entra na dança
Eu faço versos como quem clama
Clama e grita
Grita e reclama
Faço versos como quem sofre
Sofre e explode
Explode e descobre
Faço versos como quem sonha
Sonha e se amedrotra
No alto da afronta
Eu faço versos como quem vê
Vê e prevê
O que vai acontecer?
Eu faço versos como quem ouve
Ouve e reouve
E não escuta as dores
Faço versos como quem anda
Anda e saltita
Anda e caminha
Anda e ouve
Anda e ri
Anda e canta
Anda e clama
Anda e vê
Anda e sonha
Anda e anda
Anda e alcança
Alcança o meu verso....

quarta-feira, janeiro 01, 1992

Não me deixes

Por que fostes embora?
Por que escorreste de mim ?
Não vês que preciso de ti!
Não vês que é a minha esperança!
Por que deixaste meu ventre se eras tão amado por mim?
Por que me maltratar assim?
Tu serias a única semente do meu grande amor..
Por que não te aninhaste firme e forte?
O que fiz eu pra te perder?
Não me deixes, por favor!

Sem explicação

De repente aconteceu
A gente se bateu
A gente se esbarrou
E, enfim
A gente se encontrou.
Sim! Houve encontro
Houve partilha de emoções
Corpo e alma
Pensamentos, sonhos, realidade
O tempo é tão insignificante
Que nem percebemos como passa rápido
A gente vê – o coração acelera
A gente sente – o pensamento muda
A gente se encontra
Eu sou sua
Você é meu
Depois fico só eu
E só você
E fica a saudade
A falta
O complemento
Vem a distância dos corpos
Do pensamento
Do sentimento
Acaba tudo e tudo volta
A vida se encarrega de dar um final
Não sinto um fogo
Uma explosão que se apaga com a chuva
Sinto algo mais
Sem explicação.

Luz no fim do túnel

Com todas as incertezas
Que a vida nos propõe
Com ensejos e decepções
Temos a esperança que tudo
Um dia
Vai melhorar.
Passamos por mil e uma armações
Saídas e passos em falso
Fazemos o possível para permanecermos vivos.
Seguindo o nosso objetivo
Seja lá qual for
O importante é estarmos vivos
E vivendo
Vivendo e vendo
E ouvindo
Tudo que gira ao nosso redor
Rodamos mil vezes mais
Que a nossa Terra
Tudo gira no espaço numa grande rapidez
Em um segundo viajamos
Por toda a Via Láctea
Do nosso pensamento inexplicável
É a mania de achar que no fim de tudo
Deve haver uma esperança
Deve haver uma solução
É a luz que existe
Atrás do túnel
Atrás de tudo
Atrás da vida
É a morte
É a vida eterna....

Como?

Como uma pessoa pode estar contida
Em outra dessa forma?
Fazendo-se presente de forma
Tão intensa, tão nítida
Depois de tanto tempo?
Quanta espera!
Espero a realidade chegar, sonhando
Talvez sonhando seja menos doloroso
Talvez sonhando eu esteja mais perto
Da realidade que quero....

Uma oportunidade

De repente uma oportunidade
Um medo
A vontade.
De repente o desespero
De repente uma carícia
Uma cena de amor na televisão
A empolgação com o visual
A loucura no sentimental
De repente o envolvimento
Com a sensação e
a carícia mais profunda
apossa-se do domínio de nosso tato...
de repente a descoberta
do outro,
face a face
pele a pele
de repente a ternura
o abraço
e a troca de sorrisos....

Contemplamor

A inquietude do meu pensamento
Extravasa a sensação do proibido
Do incorreto aos olhos da lei
Regida pelos tabus humanos.
O sentimento incumbe-se de entrar
Num labirinto:
Fácil de entrar, difícil de sair.
A razão, o lado escolhido pela lei da natureza
Deve permanecer estável.
Seja pelo complexo de Édipo ou de Electra.
A sensação, o ciúme, o sentimento alheio.
É vergonhoso? Por quê?
Já que é amor,
e o amor é lindo, puro e sensacional.....

Eu X eu

Eu não sou única.
Meus estudos não são a minha vida.
A vida vai além de uma profissão.
Minha vida não se resume em mim.
Há pessoas que me rodeiam.
Preciso delas e não as vejo.
Não tenho ninguém
E tenho todo mundo, ao mesmo tempo.
É preciso comunicação.
É preciso silêncio.
Eu sou toda silêncio.
Em meu mundo, ninguém fala.
Eu falo – comigo mesma.
Não sou surda
Nem cega
Nem paralítica mas sou silêncio.
Ninguém penetra em meu silêncio.
Meu silêncio é só meu.
Eu e eu, ou eu X eu?
Hoje sinto um amor bater em meu peito
Amor que consegue penetrar em meu silêncio.
E me faz conhecer um pouco mais de mim mesma
Esse amor que de mansinho
Conseguiu atingir meu silêncio
Que era somente meu.
Esse amor invade meu pensamento
Sem sequer respeitar meus limites.
Esse amor me consome
E me faz enxergar o mundo
No meu silêncio há amor
Há carinho
Há confiança
Há tudo.
Eu sou magia.
Em todo momento há um toque
Que me conquista. Será amor?
Eu preciso conhecer esse mundo inquieto
Eu preciso conhecer essas pessoas tagarelas
Eu preciso conhecer esse sentimento
Eu preciso conhecer esse silêncio inexistente
Eu preciso conhecer essa paixão
Eu preciso conhecer a mim mesmaEu preciso de você, sempre

Monstro desejo

Mãos mecânicas – gestos violentos
Corpo forçado – homem sem sentimento
Sentir prazer com a destruição.
Sentir nojo com tal demonstração.
Pessoas que se mostram agradavelmente.
Noutro dia – monstruosamente.
Frieza – violência – injustiça.
Quanta maldade desse mundo, meu Deus!
Quantas pessoas sem coração!
Sentir-se impura, suja de horrores.
Líquido pecaminoso.
Mãos sedentas –
Voz altamente psicótica.
Deus me livre!

Amor pede ajuda

Aqui dentro de mim
Bate um coração
Que quer amar
Sim! Quer amar!
Que sentir, quer afagar..
Ele bate forte,
perde o sono,
delira e sonha.
Ele tem esperança
e tem consciência do errado.
Meu Deus, ajude-me!
Sei que meu coração está errado.
Como parar esta louca vontade
Que tenho de jogar-me
Nos braços do amor e desfrutar
Do carinho
Da atenção
Da companhia.
Ó Pai, por que sou tão sozinha?
Meu coração chora,
Grita pela dor que sente.
É forte, é dolorido, é estranho.
Pulsa, remói, aperta, confunde
Engana-se,
Chora, chora muito
Tirai de dentro de mim
Esta inquietação
Essa vontade de seguir
A voz do coração
Ó Tempo, curai essa dor
Que nunca passa.
Faz-me companheira
De alegrias e glórias.
Arrancai de mim esse amor
Que está me sufocando!

Vem!

Eu o quero tanto!
Se imaginasse o quanto,
Talvez me pouparia mais amor.
Esse amor é tão imenso
Que dói no coração
E explode de paixão.
Eu o quero perto de mim,
Fazer-lhe bem,
Fazer-me bem.
Quero acordar contigo
-todas as manhãs –
e adormecer em seus braços.
Quero almoçar com você
Jantar com você
Acordar com você
Amar você.
Quero o seu dia,
A sua noite,
A sua rotina.
Quero triplicar as horas
E durar toda a eternidade.
Quero explodir de tanto amor!
Não agüento mais..
Quero-o meu!
Vem ficar comigo, vem!
Vem me fazer um carinho,
Encher-me de beijos e desejos.
Vem falar da beleza
Contar uma piada
Falar de grandeza
Fazer-me dar risada.
Vem que eu preciso de você pra viver feliz.
Vem que é pra eu não morrer de lhe esperar.
Vem me querer nesta noite fria,
Vem me querer toda sua,
Vem que eu amo,
Amo
Amo
Amo você !

Adoro? adora...

O sol que resta em meu ser
É uma luz um tanto sem graça
Do cordão que soltou da lua
Dessa menina que sempre foi sua,
Piralha, nojenta, menina ingrata!
Subir nas paredes com êxtase e dor
Molhar os lençóis com o suco da flor
Gemer bem baixinho, o gozo, o odor
Beijar-lhe os cabelos, sentir-lhe o amor.
Quisera que fosse o orvalho do amor
Fundindo com gosto, imitando a flor
Cuidado, menina!
Olha o seu inventor!
De medo, sem medo, no grito, clamor!
E de repente
Eu vou em frente
E na minha frente
Simplesmente
Você mente
Agora ou outra hora
Vou embora
E embora a aurora
Fraca outrora
Vem dizer-me adora?
Adoro.... adora?

Meus tons

O meu amor possui um tom suave
De caricia, desespero, desejo.
O meu amor possui uma medida:
Não ter medidas para amar.
Querido ser abundante de prazer
Querer, fazer... o quê?
Quero acordar com você ao meu lado
Quero poder ser amada
Quero sentir a felicidade estampada
Em nossos rostos, nossos corpos
E assim...
E assim poder sentir que é preciso ter fé
Ter fé em alguma coisa
Ter fé no pensamento humano
No sentimento divino...
O meu amor possui o som suave da melodia
Cantada por um coração feliz, cheio de esperança
Feito criança
Em dia de bonança.
O meu amor possui a cor berrante
Do sentimento grandioso
A cor metálica do sofrimento
A cor sedutora do desejo
Incontido de palavras
O meu amor possui o tom,
O som,
A cor e que sempre foi
E que sempre será
O amor!

Pesadelos

Raios de paixão que começa a vibrar em meu ventre
Relâmpago de amor que gera em meu coração calado
Ao mundo cruel
Onde só as leis dos homens mandam
- de forma indecente –
interesseira.
Quando pode ser o amor trocado pela simples forma de se ter ao lado
O que se imagina?
Imaginação!
A realidade existe para fazer o ser humano
Crescer e multiplicar conhecimentos
O amor é a realidade que move o mundo
A alma
O pranto
A dor
A tortura
A miséria.
Sem amor eu nada seria
Sem você aqui dentro de minha vida
Louca de desejo –
Desejo de viver intensamente
O presente – presente de seu carinho
Presente no presente
De um passado futurista
Eis-me aqui a pensar
A calar,
A chorar
Presente que rola em minha face em forma de gotas
Tão suaves quanto os chuviscos de ontem à noite
Leve gota batendo em meu rosto
Aliviando a sensação de frio
De revolta
De repulsa ao talião!

Sons , ruídos e fantasias

A vida possui sons, ruídos e fantasias
O som da rebeldia: o ruído da fome, a fantasia do ser...
A rebeldia tardia – um grito ao mundo indecente, louco, trágico.
Mundo imundo, desumano, irracional,
Mundo que rui, rui na alma do ser...
Ruídos de fome – miséria
Misericórdia!
Falta-me alimento – estômago, mente, coração
E a minha existência dependente desse ruído rebelde.
Meu ser...
Que fantasia!
Sem ar, sem água, sem alimento... que ser humano é este?
Sons, ruídos e fantasias.
Um mundo irreal.
Quisera fosse uma utopia...
Esperança?
O som da vida ... ruído da fantasia.

Nosso encontro

Nosso encontro

Eu chego devagarzinho
Você me espera inquieto
Nosso olhar se encontra
Nossos corações pulsam
Nossas almas interagem
E aos poucos nossos rostos se aproximam
E nossos lábios se tocam
Um leve arrepio toma conta de nós

As lembranças sobrevoam nossas mentes
E temos sede de saudade
Uma chama se acende dentro de nós
E nos faz ter coragem
Coragem de tentar mais uma vez
Dar um ponto final nesta história.

E se quisermos escrever outro parágrafo?
E se quisermos iniciar mais um capítulo?
E o medo toma conta de nós
E nos afastamos mais uma vez
Na esperança de um novo reencontro...