Meus vídeo-poemas

Loading...

terça-feira, agosto 30, 2005

Quando eu nasci

Quando eu nasci
Um anjo retrucou
Menina maluca,
Em que mundo
você se enfiou?
Neste exato momento
Senti um desejo profundo
De me apoderar deste mundo
Saber o que havia por lá.
Subi montanhas e barreiras
Flutuei na lua cheia
Mergulhei no rio e no mar
Encontrei gente de todo jeito
Animal pra lá de perfeito
Natureza pra se admirar
Então meu anjo sabido
Veio até mim, aflito
Pedindo pra eu lhe contar.
O mundo é uma beleza!
Então deixe de moleza...
O que vale aqui é amar!

Lu Oliveira
23/08/2005

segunda-feira, agosto 29, 2005

Estúpida Sensação

Cola no peito
Ignora a razão
Urra feito fera ferida
Mexe com toda a emoção
Estúpida sensação!

domingo, agosto 28, 2005

Quem pensa...

Quem pensa que é
pra dizer quem eu sou...
O que ousa definir
sem saber como eu estou...
Julga-se onipotente
Senhor da razão
Leva-se por preconceitos
Magoa meu coração...
Apesar de ter sempre me visto
Jamais me enxergou
Embora tenhamos convivido
Nunca descobriu o que sou...
É preciso aprender a ver
É preciso saber mais
Você acha que pode tudo
Mas poder tudo é demais...

terça-feira, agosto 23, 2005

Lua Cheia

Lua cheia
Um lobo a uivar
Animal no cio
desejos incontidos
Vontade de amar
Fêmea ardente
Um louco vazio
Morrer de frio
SAudade de matar
Doce desejo
Sentidos seguros
O corpo pede
A paixão impulsiona
Olhares que provocam
Explosão de prazer!

sábado, agosto 20, 2005

O Sol e a Lua

Somos como o Sol e Lua
Esperando um eclipse
para nos encontrar...
E ficarmos um
bem coladinho no outro
Por um tempo tão curto
e tão intenso
Num mágico e
profundo momento
E de novo nos separar....

quinta-feira, agosto 18, 2005

Pedra

Pedra!
Quero ser pedra...
Não quero mais sentir...
Pedra!
Quero ser forte...
Nunca mais cair...
Pedra!
Quero ser rocha...
Pra jamais ter que desistir...
Sentimentos enfraquecem
Faz-nos vulneráveis
Esperanças e promessas
De repente nos invadem
Pra que sentir?
Pra que deixar o sangue ferver
Se todo fim é certo
Se tudo é tão incerto
E nós não queremos ver?
Ah! coração....
Músculo involuntário
Deixa-se levar fácil
Bate forte intensamente
E quem quiser
que se aguente...
Pedra!
Quero ser pedra!
Não quero mais sentir!


Lu Oliveira 18/08/2005

quarta-feira, agosto 10, 2005

Impossível

I nsistir num sonho
M apear uma ilusão
P or que tem que ser assim
O impossível sempre
S e tudo é tão sincero
S e tudo é tão vivido?
I nsensato coração
V ive de enganos
E ntra em enrascadas
L uta contra o destino.

segunda-feira, agosto 08, 2005

Desistindo de você

Dei tantos passos incertos
Esperando enfim acertar
Simplesmente ousei
Imaginei poder amar
Senti fragrâncias e melodias
Te senti na alma
Insinuei meus sentimentos
Narrei minhas fantasias
Doei meus doces pensamentos
Ostentei um quê de poesia
Desenhei-me conforme minhas vontades
Espelhei-me em seu desejo
Vivi momentos puros
Ofegando de tanta voracidade
Cada momento sonhado ou vivido
Estará pra sempre na memória.

domingo, agosto 07, 2005

Incerta

Incerta
Levo a vida
Ouço pensamentos e melodias
Viver é uma arte infindável
Encolho-me em meu casulo
Já não sei o que pensar
O que fazer eu não sei
Continuar me enganando
Acordar sangrando...

quarta-feira, agosto 03, 2005

Sentimento Abafado

Em meu peito bate um coração
Sofrido e solitário
Abafado e cansado
Eternamente calado.
Sentimento profundo
Habitou em meu mundo
E nunca mais se foi
Acomodou-se
Calou-se
E de repente surgiu
Como flecha certeira
E fez minha cabeça girar
E fez minha vida mudar
E me fez de novo amar...

terça-feira, agosto 02, 2005

Por que te amo?

Por que te amo?
Se nem o tempo conseguiu
Se até o relógio me traiu
Por que te amo?
Se ao teu lado nunca estou
Mas tua sempre sou
Por que te amo?
Se o céu pra mim é triste
Sem meu amor nada existe
Por que te amo?
Se o tempo era o melhor remédio
Se não consigo me livrar do tédio
Por que te amo?
Por que te amo?
Por que te amo?
Se um dia tu souberes
Se um dia me disseres
Por que te amo.
Saibas que meu amor
Sempre foi teu com fervor
E nunca se abalou
E nunca se calou
e nunca se desencantou
e em ti sempre pensou
e sempre indagou:
Por que te amo?