Meus vídeo-poemas

Loading...

terça-feira, janeiro 03, 2006

Nunca

Nunca estou perto o bastante
pra decifrar teus olhos
nem distante o bastante
para esquecê-los
Nunca estou perto o bastante
pra sentir teu calor
nem distante o bastante
a ponto de sentir frio.
Nunca estou perto o bastante
pra entender sua verdade
nem distante o bastante
pra descobrir sua mentira.
Nunca estou perto o bastante.
Nunca estou distante o bastante.
Nunca estou contigo.
Nunca estou comigo.
Nunca seremos nós.

Um comentário:

tonho franca disse...

Um poema que fascina pelos contrastes, pelo antagônico, a poeta com sutileza brinca com o tempo e a distancia como se fossem as mesmas grandezas. Vai ganhando ritmo e velocidade, até os versos finais, são FANTÁSTICOS...amei ler.

tem minha admiração poeta,
abraço
muita luz no teu caminho

tonho frança