Meus vídeo-poemas

Loading...

terça-feira, janeiro 30, 2007

Encanto da lu(a)




Quando senti o sangue
Descendo por entre as coxas
(lágrima que rola
num adeus às bonecas)
De crescente
Tornei-me lua cheia...
Meu corpo, suave barro
expelindo essências
modelado pelas mãos
da suprema criação.
Nos olhos, estrelas cadentes
Nos lábios, néctar de flores
No ventre, fértil magma
Vulcão em erupção.
Nas mãos, rosas vermelhas
Regadas entre cinco espinhos.
Quando senti o sangue
rolando por entre as coxas
De crescente
Tornei-me lua cheia
E a cada estação
Irei te encantar...

quarta-feira, janeiro 24, 2007

Gravidez


E foi naquela noite enluarada

Que o gameta luz

Fecundou as letras...

Houve um trepidar de estrelas

No vasto céu de minha boca.

Aos poucos tudo silencia.

Faço uma descoberta.

Estou grávida!

Grávida de POESIA!

domingo, janeiro 14, 2007

UtopiAmor


Eu desejo um amor que me enfureça
Que me leve à loucura, êxtase profundo
Que me faça mulher em chamas
Que me tire o salto, desamarre os botões
E apague meus queimores ao anoitecer
Eu desejo um amor que me acalme
Que me sacuda os ombros
Que me faça companhia
Que me diga boas verdades
E que adormeça em meus braços até amanhecer.
Eu desejo um amor que me ilumine
Que seu sorriso me contamine
Que encare a TPM como brinde
Que me pegue no colo, rode, saltite
e segure firme em minhas mãos até o sol nascer
Eu desejo um amor que me encare
Que olhe sempre em meus olhos
Que não deixe que nada nos separe
Que colha flores do campo e tulipas
E floresça em meu caminho até envelhecer
Eu desejo um amor que ame
Que grite, que chore, que reclame
Que cante, dance , lute sem tatame
Que amanheça, que entardeça, que anoiteça.
E que me ame pra sempre até morrer...

sexta-feira, janeiro 12, 2007

Meio-dia


Meio-dia
Choro.
Sem motivo algum
Nem por isso ou aquilo
Choro porque choro
Algo me sufoca o peito
E dói-me a alma.
Meio -dia
Choro.
O pranto sobe-me garganta acima
Uma dor que não sei de onde vem
Uma gastura
Um destempero
Simplesmente choro.
Meio -dia
Choro
No céu o sol brilha voraz
Mas não ilumina meus pensamentos
No céu o sol impõe seu diadema dourado
Mas não reina em minha dor fulgaz
Dia claro, meio-dia,
Mundo iluminado
Sonhos esquecidos...
Meio-dia
Choro inteiro.