Meus vídeo-poemas

Loading...

domingo, maio 27, 2007

Memória




Quero ficar
na tua memória
assim tão quietamente
que me sintas apenas
como aquele velho sinal
em teu corpo
que já nem percebes
não olhas
mas está lá
marcando tua pele
tal tatuagem do amar.
Quero ficar
na tua memória
de maneira tão terna
tão forte
tão abrangente
tal aroma do café
que fazes toda manhã
e que inunda a tua casa
enchendo-te de forças.
Quero ficar
na tua memória
tão serena e mansa
tão imperceptível
que não consiga agitar
a quietude de teus sonhos...
Quero ficar
na tua memória..
Quero ficar na tua pele...
Quero ficar em ti
pra sempre...

Lu Oliveira

29/04/07

domingo, maio 13, 2007

Mãe de todas as coisas


Quisera a Poesia
fosse mãe
de todas as coisas!
Com bondosas mãos
jamais deixaria
um filho
jogado no banco de uma praça.
Com doces palavras
jamais permitiria
que a tristeza
te pusesse uma mordaça
Com olhos de girassol
jamais conseguiria
deixar-te sozinho
em cruel escuridão
Com infinito toque
jamais pensaria
num filho
entre fogos de canhão
Ah... quisera a Poesia
fosse mãe
de todas as coisas!
Seria o universo
um poema lírico
com versos livres
entoando canções
de paz
entre os homens...
Seria o mundo
um camoniano soneto
com métricas rimas
enaltecendo o amor
de Deus
entre todas as criaturas
Quisera a Poesia
fosse mãe
de todas as coisas!
Seríamos ritmo
luz, cadência
alma humana
em profunda essência!

quinta-feira, maio 10, 2007

Aparador dos desejos




O doce toque
viaja
pelo néctar- flor
que habita meu corpo
Percorres meu habitat
ardente desbravador
de sensações
explosivas.
Gata no cio
a exalar odores
unhas afiadas
olhar felino
que te arrepiam
os sentidos.
Um calor
que vem da alma
aquece a avenida
que acorda
ao som dos pneus
que rangem
sob o quinto andar.
Desejo emana
em cascatas
ondas meteóricas
de sussurros
ao pé do ouvido.
Cálido beijo
sede
gemido
rosa primaveril.
Rio transbordado
travessia
em alto mar
Náufragos
em nossa
coesão de amar.