Meus vídeo-poemas

Loading...

domingo, outubro 26, 2008

Exposição Poesia Subterrânea - Luh Oliveira e Soraya Monteiro

Posted by Picasa
Posted by Picasa
Posted by Picasa

XVI CONGRESSO BRASILEIRO DE POESIA - 2008

“Que acontece quando se solta uma mola comprimida, quando se liberta um pássaro, quando se abrem as comportas de uma represa? Veremos...” (Gilberto Gil).


Acontece o Congresso Brasileiro de Poesia!

Idealizado e comandado por Ademir Antonio Bacca, realizou-se de 06 a 11 de outubro o XVI Congresso Brasileiro de Poesia, em Bento Gonçalves - Rio Grande do Sul. O evento que ultrapassa as fronteiras da Serra Gaúcha reúne poetas, atores, músicos e artistas plásticos dos mais diversos Países e Estados brasileiros e transforma a pacata cidade de Bento Gonçalves no lugar de encontro de todas as vozes, de todos os sonhos e de todos os poetas.

Foram dias de intensa celebração cultural, em que o envolvimento da população, em especial dos alunos e professores das redes pública e privada de ensino foi o ponto culminante.

O contato direto da comunidade com o movimento literário e poético nacional e internacional, através dos projetos, Poetas nas Escolas, Poesia na Vidraça, Oficinas de Poesia Visual dentre outros proporcionou a todos, momentos de puro êxtase. Momentos de gargalhadas e de lágrimas. De emoção e aplauso. De crianças preocupadas com o amanhã literário, como Tainá e Emanuelle, ambas com 11 anos, que na raça fundaram a mais nova biblioteca do Rio Grande do Sul – a Biblioteca Comunitária Mário Quintana. Momentos de talento e mais talento, de tanta beleza, de pássaros livres e comportas abertas.

Indiscutivelmente é desta troca de experiências que surge a inspiração, o novo. E apesar de todas as dificuldades, de tantas vozes contrárias à difusão da Poesia, vemos esta a cada dia mais viva. O Congresso Brasileiro de Poesia, a cidade de Bento Gonçalves e o guerreiro Ademir Bacca são a prova disto.

Parafraseando Ronaldo Werneck, digo: “Eu volto. Voltamos todos no ano que vem, num só (as)salto poético, num só vôo – aves, aves! – sobre as serras e ruas de Bento Gonçalves”.

Andréa Motta